About pedro

Pedro Lobo estudou na School of the Museum of Fine Arts, Boston e no International Center of Photography (ICP), em Nova Iorque. Entre 1978 e 1985 foi fotografo/investigador do Centro Nacional de Referência Cultural (CNRC com Aloísio Magalhães e do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) onde foi o responsável pela documentação fotográfica para os processos de inclusão na lista do Patrimônio Mundial da UNESCO das cidades de Olinda, Ouro Preto, Salvador, Santuário do Bom Jesus doe Matosinhos e São Miguel das Missões. Em suas séries fotográficas,nas favelas cariocas – “Arquitetura de Sobrevivência” – nas prisões de Carandiru e Medellin – “Espaços Aprisionados” – utiliza a fotografia de arquitetura como meio de retratar a condição humana. Tem exposto regularmente seu trabalho, em individuais ou em colectivas, no Brasi, em Portugal, nos Estados Unidos, na Dinamarca, na Alemanha, na China e na Colômbia. Sua obra figura em diversas coleções públicas e particulares. Recebeu o V prêmio Marc Ferrez, as bolsas CAPES-Fulbright e a Vitae de Fotografia. Atualmente reside em Évora, Portugal, trabalhando na Europa e no Brasil.

EmmericoNunes

É com prazer que acrescentamos o Centro Cultural Emmerico Nunes de Sines no rol de parceiros e amigos do inventário de Recursos Artísticos do Alentejo.

O Centro Cultural Emmerico Nunes, fundado em 1986, adquiriu, em 1990, personalidade jurídica como Cooperativa do Ramo da Cultura e foi-lhe atribuido, em 1998, o estatuto de Pessoa Colectiva de Utilidade Pública.

A política cultural do CCEN tem-se caracterizado por uma total abertura às diferentes formas de expressão artística, locais e nacionais, que promovam o debate de ideias, o confronto com opções e estéticas diversificadas e o aprofundamento de conhecimentos e aprendizagens. Na perspectiva de formação cultural do público a instituição tem privilegiado, desde sempre, o público mais jovem, proporcionando-lhes o gosto pela arte, pela cultura em geral e o enriquecimento pessoal em formação artística.

Pouco a pouco forma-se uma rede com importância para todos os que desenvolvem projectos em artes visuais no Alentejo. Os que aqui estão e os que ainda virão!

 

UE_CHAIA_001

Paisagem e Património II (2012-2013)

Seminário interdisciplinar de investigação

CHAIA / Centro de História da Arte e Investigação Artística

Universidade de Évora

2013

 

 

sexta-feira, 31 de Maio 17h-19h30 (sala 242, Colégio Espírito Santo, Évora)

 

 

Paisagem e Património vistos a partir do comboio (França e Portugal)

 

Nesta sessão, Gilles Chabot, controlador do comboio de alta velocidade (TGV) na linha Paris-Lyon-Marselha, apresenta-nos o seu trabalho de fotógrafo e traz-nos o seu olhar, a sua reflexão e o seu discurso sobre a percepção/representação da paisagem e do património franceses a partir do comboio em que trabalha. Confrontando este levantamento, objecto de dois livros publicados em França, com o novo projecto de trabalho em curso, Gilles Chabot fará igualmente uma primeira apresentação do levantamento fotográfico em território português (Lisboa-Porto, Lisboa-Faro), que tenciona levar a cabo nos dias 29 e 30 do corrente mês.

 

ModeraçãoMiguel Padeiro, Paulo Simões Rodrigues e Isabel Lopes Cardoso.

 

http://www.chaia.uevora.pt/pt/event/121/paisagem-e-patrimonio-ii.html

Entrada mediante inscrição: chaia@uevora.pt

Arquitectura de Sobrevivência em Charlotte, USA.

pedro_lobo_card

UNC Charlotte’s Center City, Projective Eye Gallery | CoA+A, presents

OPENING RECEPTION MARCH 22, 2013 \ 6:00−8:00 PM Lecture by Pedro Lobo & Fresh Ink Performance Series

FAVELAS: ARCHITECTURE OF SURVIVAL

Please join us for an Opening Reception with a lecture by Pedro Lobo followed by the Fresh Ink Performance Series on March 22, 2013. This event is free and open to the public. The exhibition will run from March 9 – May 30, 2013. In conjunction with the exhibition we will have a panel discussion “Negotiating the Gap” along with response work from our neighbors at Urban Ministry, SoA, and Urban Design students in the front window.

The exhibition includes 48 large format photographs by Brazilian-born photographer Pedro Lobo, documenting the favelas or shanty towns in Rio de Janeiro, the longest-lived squatter settlements in the world. There are about one billion squatters worldwide, one million of which are in Rio de Janeiro. Lobo’s photographic landscapes document the organized chaos of hillsides overrun with homes. The photographs suggest a progression toward permanence, as people put down roots and build communities within these impromptu urban developments. These beautifully composed images do not shy away from the sprawl, or the hardships of the favelas, yet they are filled with optimism

necessary for life in these marginalized urban neighborhoods. These images attempt to show the human dignity of the “favela” dwellers, in spite of all the difficulties faced by those who have no other choice but to live in these excluded communities. Pedro Lobo is a Fulbright scholar who has studied at the International Center of Photography, NYC, and at the School of the Museum of Fine Arts, Boston. Over the 1970s and 1980s, Lobo was a photographer and researcher at Brazil’s National Center for Cultural Reference and at the Monuments and Sites National Institute. He photographed the historical sites of Ouro Preto, Olinda, Salvador, and São Miguel das Missões for their inclusion in UNESCO’s World Heritage List. Lobo works to show the viewer aspects overlooked in the landscape where individual expression and social processes mark places for his large format camera. Pedro Lobo lives in Rio de Janeiro and Évora, Portugal. He won 1st prize for the photographs in this exhibition in the TOPS IN International Photo Festival in Shenyang, China. 

http://centercity.uncc.edu/projective-eye-art-gallery

Sr. Lareca e o Monte da Abaneja

Este pequeno vídeo é sobre o Sr. Lareca, trabalhador rural no Monte da Abaneja, na Paróquia de Nossa Senhora de Guadalupe, em Évora, Portugal por 43 anos. O monte da Abaneja é uma construção rural registada, fotografada e estudada pelos arquitectos responsáveis pela elaboração do livro “Arquitectura Popular em Portugal” e publicado em 1961 pelo Sindicato Nacional dos Arquitectos. Este vídeo adiciona narrativa histórica de cunho pessoal a este exemplar de património cultural do Alentejo. Foi produzido entre Dezembro de 2012 e Janeiro de 2013 por Pedro Lobo.

This video is about Sr. Lareca, rural worker who labored at the Monte da Abaneja. in the Parish of Nossa Senhora de Guadalupe, Évora, Portugal for 43 years. The Monte da Abaneja is rural house which was registered, photographed and studied by the architects responsible for the publication of the book “Popular Architecture of Portugal” in 1961. This video adds a bit of “hands on” historical narrative about this example of cultural heritage. It was produced between December 2012 and January 2013 by Pedro Lobo.

Paisagem e Património – Seminário

Paisagem e Património II (2012-2013)

Seminário interdisciplinar de investigação

CHAIA / Centro de História da Arte e Investigação Artística, Universidade de Évora

sexta-feira, 15 de Fevereiro, 17h-19h (sala 242, Colégio Espírito Santo, Évora)

A cidade e o transporte, transformações e permanências (os casos de Paris e de Lisboa) (título provisório)

Nesta sessão, Miguel Padeiro, geógrafo, doutorado pela Universidade de Paris-Est, investigador do IGOT, Instituto de Geografia e Ordenamento do Território, CEG (Centro de Estudos Geográficos), Universidade de Lisboa

desenvolve as suas reflexões sobre a coerência transporte / ordenamento do território à escala metropolitana e a consequente transformação da paisagem urbana. Os territórios invocados são Paris e Lisboa, cidades que o investigador conhece, pratica e estuda há vários anos. Ambos os terrenos são abordados em perspectiva comparada. A discussão transdisciplinar será proporcionada pelos moderadores da sessão.

ModeraçãoJoão Soares, Isabel Lopes Cardoso.

http://www.chaia.uevora.pt/pt/event/121/paisagem-e-patrimonio-ii.html

Entrada mediante inscrição: chaia@uevora.pt

Conversas entre as Oficinas do Convento e ArteAlentejo

Conheci as Oficinas do Convento recentemente, quando no começo de dezembro passado fiz, junto com Pedro Gil e a convite de José Manuel Rodrigues, palestra sobre o meu trabalho dentro do ciclo “Conversas à Volta da Luz”.

O histórico e as atividades atuais fazem das Oficinas do Convento parceiros ideais para o desenvolvimento do inventários dos Recursos Artísticos do Alentejo.

Ontem, em função da ArteAlentejo.org, realizei uma visita as Oficinas do Convento em Montemor-o-Novo e com o Tiago Fróis (diretor artístico), pude avançar conversas de colaboração mútua no intuito de desenvolver recursos e atividades artísticas no Alentejo.

As Oficinas do Convento vão colaborar com o inventário dos Recursos Artísticos, disponibilizando contatos, recursos e experiências.

Obrigado pela força Tiago! Viva as Oficinas do Convento!!!

Queridos amigos, visitem as Oficinas do Convento, pessoalmente ou online http://www.oficinasdoconvento.com

Logo OC

International information

Dear friends,

2013 begins with good vibes and I would like to bring our international friends some news about our project.

First a brief description of our main goals:

Portugal’s Alentejo region gathers exceptional characteristics for the development of artistic activities:

  • excellent climate
  • quality of the light
  • availability of noble raw materials, specially marble
  • qualified human resources
  • existing infrastructure: hotels, roads, galleries and museums

It is necessary to promote this set of qualities in order to attract visual artists, collectors, curators, galleries, students, critics and researchers and to help them establish and develop their activities in the region.

Our aim is to create an extensive catalog of the visual arts resources available in the Alentejo region, to list and provide information, descriptions and observations about:

  • Materials suppliers: marble, granite, wood, iron, tools, machinery, paints, pigments, etc.
  • Service suppliers: carpenters, framers, printers, artisans, smiths, sculptors, transportation, packing, binders, etc.
  • Galleries, Museums and Cultural Institutions
  • Governmental resources
  • Visual artists
  • Collectors
  • Curators and commissaries
  • Cooperatives and associations
  • Schools and Universities
  • Research Centers and Historians

Geographical scope:

  • First stage: municipalities of Alentejo Central
  • Second stage: municipalities of Alto Alentejo
  • Third stage: municipalities of Baixo Alentejo and Alentejo Litoral

Please register!

Those who do so, will receive our info and news as they are gathered in our database. Besides, through the “login”, I can incorporate suggestions and infos directly into the inventory of the Artistic Resources of the Alentejo.

I will keep you posted here and in Facebook.

All of the best!!!

Pedro

Molduras

Let’s fill these frames!!

Bom ano!

Prezados amigos,

2013 começa com bom ânimo e aproveito para dar mais impulso ao nosso projeto.

Peço a gentileza, dos que tiverem tempo e disponibilidade, de perderem um tempinho fazendo seu cadastro no ArteAlentejo, tornando-se usuários.

Os que estiverem cadastrados vão receber mais rapidamente as informações a medida que elas passem a constar de nossa database. Alem disso, atraves do login posso incorporar as sugestões e “dicas” imediatamente ao inventário dos Recursos Artísticos do Alentejo.

De qualquer forma vou mante-los informados tanto cá como no Facebook.

Tudo de bom!!!!
Pedro

Vamos plantar uma árvore!

PedroLobo_1070882

Recursos Artísticos do Alentejo

Inicia-se o inventário dos Recursos Artísticos do Alentejo, realização conjunta da Direção Regional de Cultura do Alentejo, GEPAC – Gabinete de Estratégia, Planeamento e Avaliação Culturais – e Categoria à Parte, Lda.

RecursosArtitsitcos_Logo

  • A primeira etapa, janeiro a abril de 2013, abrange todos os conselhos e freguesias do Alentejo Central: Alandroal, Arraiolos, Borba, Estremoz, Évora, Vila Viçosa, Montemor-o-Novo, Mora, Mourão, Portel, Redondo, Reguengos de Monsaraz, Vendas Novas, Viana do Alentejo e Vila Viçosa.
  • Etapas posteriores: toda a área de atuação da Direção Regional de Cultura do Alentejo